Docinhos: Função CEO - A Descoberta da Verdade (parte 6)

1
"- Bom dia, Sr. Carter – ele me interceptaria de qualquer forma, então não era necessário ignorá-lo. Apenas abreviei as coisas.
No entanto meu objetivo era cumprimentá-lo e seguir o meu caminho. Não foi como eu esperava. Estando ainda a dois passos de distância, ele sorriu, passou as mãos nos cabelos ainda molhados e abriu caminho para que eu passasse. Agiu como um criminoso que analisava todos os seus gestos para despistar a vítima, e quando passei, suas mãos fortes e ágeis agarraram a minha cintura, me fez girar, prendendo-me entre seu corpo e o carro. Em um segundo eu era a sua refém e em menos do que isso seus lábios já estavam nos meus.
Foi como uma injeção de adrenalina. Ele me imprensou com todo o seu corpo contra a lataria do carro enquanto sua língua pedia passagem a minha. Foi impossível resistir. Senti seu gosto doce e seus lábios macios, sua língua sedenta e suas mãos quentes, tudo misturado ao seu cheiro másculo de limpeza e pós-barba, típico de Robert quando saía do banho. Eu me perdi naquele beijo permitindo que todas as sensações me alcançassem. 
E, sem controle do que estava sentindo, percebi o familiar formigamento em meio as minhas pernas, o meu corpo implorando por mais de seus lábios, língua e mãos... Do seu próprio corpo no meu. Minha calcinha imediatamente ficou úmida, o que me causaria desconforto durante o restante do dia, mas como pensar nisso estando com Robert em minha boca? Pro inferno com a calcinha! Ele podia ficar com aquela também para a sua coleção depravada.
Porém, da mesma forma brusca que começou, terminou. Ele interrompeu o beijo e sorriu ainda em meus lábios, se afastando logo em seguida. Aquele filho da puta estava brincando comigo, se divertindo da minha fraqueza e se deliciando com a minha necessidade.
- Bom dia, Melissa!
Seu súbito afastamento me deixou tonta e logo vi tudo a minha frente girar. O ar ficou retido em meu peito. Fechei os olhos e tentei respirar, mas todas as minhas ações pareciam pesadas e complicadas.
- Melissa! – ele ficou espantado e logo voltou a se aproximar de mim. Suas mãos em meu rosto e seus olhos atentos ao que aconteceria. – O que houve? Você está pálida.
Puta merda! Não ali. Não na frente dele. Eu iria estragar tudo.
- Mel! Fale comigo! – suas palavras ficaram mais urgentes.
Abri os olhos e tentei recuperar o equilíbrio. O ar frio ajudou e logo eu estava me sentindo melhor. Mesmo assim eu continuava lá, encostada na lataria do carro perfeito do meu ex-amante, enquanto ele me mantinha firme com o seu corpo e as mãos em meu rosto. Fiquei visivelmente envergonhada, sentindo minhas bochechas quentes.
- Deixe-me, Robert! – tentei me desvencilhar, mas foi em vão.
- Você não está bem. Pare com isso – foi firme, com a voz perfeitamente no seu melhor estilo CEO. Aquele era o meu Robert. Involuntariamente sorri. 
Naquele instante eu soube que ele estava de volta. Robert estava muito mais seguro, com uma certeza interna que apenas ele conseguia ter e que não o deixava abalar, nem cair. Aquele era o homem que me arrancava do chão e me atirava no espaço sem pedir permissão, que entrou em minha vida escancarando as portas e me roubando qualquer vontade, que se impôs fazendo-me sua independente das consequências. Aquele era o meu Robert.
- O que foi? – sua voz ficou doce e suas mãos fizeram menos pressão.
- Eu acho que... Não comi direito esta manhã. Foi isso – ele estreitou os olhos me observando. – Eu... – pisquei algumas vezes tentando fugir da força daquele olhar. – Eu estava atrasada, então me apressei em sair – o rubor ultrapassava minhas bochechas e desciam pelo meu pescoço. Seu sorriso se expandiu e seus olhos brilharam.
- Sempre atrasada, Melissa!
Era a minha deixa. Robert deu um passo para trás, o suficiente para que eu me firmasse em minhas penas e voltasse a ser a Melissa que não mais se subjugava. Era necessário.
- Ora, Sr. Carter, não esqueça quem é o chefe aqui – ele sorriu ainda mais, com se tivesse certeza de que nada o impediria de agir.
- Eu não esqueço, Srta. Simon.
- Sra. Bailey, por favor! – ele desfez o sorriso e me encarou com um misto de tristeza e rancor.
- Sim. Sra. Bailey, Melissa. Como você desejar. Vamos porque você está atrasada e sabe o que significa um atraso nesta empresa?
- Não comece – caminhei a sua frente, mas ainda ouvi sua risada abafada. 
Ele era um cretino. Mas o certinho mais doce e irresistível que eu já tinha conhecido. Além de ser o mais sexy e gostoso. Merda! Onde eu havia deixado o meu juízo? Não podia permitir que Robert se aproximasse daquela forma, muito menos que me agarrasse e beijasse quando bem entendesse. Era muito abuso!"

1 comentários:

Geisa Bono disse...

Adoro esses momentos de descontrção dos dois. Da uma leveza incrivel em mim.
:)

Postar um comentário