O professor - capítulo 7

24
Oi garotas! Nossa, estou amando postar aqui, só sinto falta mesmo dos comentários. Hoje teremos aula extra rsrsrsrsrsrsrs Eu queria escrever muito mais, já que minha mente está cheia de coisas que ainda vão acontecer e queria que este capítulo fosse maior, mas precisaria de mais tempo, então deixei a segunda parte para depois. Espero que gostem. Para aquelas que aguardam ansiosamente por Função CEO, consegui terminar o livro e agora aguardo pela correção. Acredito que teremos o livro até o final do ano. Acho que vou postar amanhã um capítulo novinho em folha, que não entrou na fic e teremos apenas no livro 1, ok? Sem mais enrolação. Bjs


CAPÍTULO 7

POV BELLA

    Entrei em casa com a minha agora constante alegria. O silêncio era agradável eu ainda sentia na pele os efeitos da noite maravilhosa ao lado do meu professor. Caramba! Edward estava me enlouquecendo. Se só as brincadeiras já deixavam meu corpo em chamas imagina como seria quando fizéssemos tudo que tínhamos direito? Eu entraria em combustão com certeza.
    Tinha passado o dia na faculdade, infelizmente não com ele. Nos encontramos apenas depois do almoço, quando ele caminhava pelo corredor com a professora Tanya Denali ambos sorrindo. Fiquei furiosa, mas decidi não dar importância. A promessa dele ainda fazia eco em meus ouvidos impedindo-me de deixar que esta imagem me tirasse dos meus objetivos: Um livro perfeito e a perda da minha virgindade com Edward. Nada poderia ser mais maravilhoso.
    Ele ficou um pouco constrangido quando me encontrou apenas me cumprimentou cordialmente, como deveria ser entre professor e aluna. Dirigi rapidamente para a minha casa e estranhamente, não me sentia tão em casa. Será que já sentia a falta da cama dele? Isso era bem esquisito.
    Para minha surpresa, e espanto também, eu não estava só, como havia imaginado. O silêncio era porque Rose aguardava por mim, em meu quarto, e com uma cara péssima.
    No inicio pensei que alguma coisa de errado havia acontecido com o novo namorado dela. Como era mesmo o nome dele? Hum! Ela nunca tinha me dito. Acho que deixei minha amiga um pouco de lado nos últimos dias. Na verdade eu estava dedicando todo o meu tempo ao... as... Minhas aulas incríveis. Ai ai!
    Rose continuava lá. Com uma cara horrível e parecendo que queria me matar. Caramba! O que eu fiz desta vez?
    - Oi! – Mantive a mochila nas costas pronta para correr para fora de casa se ela resolvesse me atacar.
    - Oi? É só isso mesmo que tem para me dizer?
    - Hum! Como vai? – Arrisquei e ela ficou boquiaberta com a minha tentativa de amenizar o clima.
    - Isabella Swan, você é absurda! Não acredito que teve a cara de pau de mentir para mim – puta merda! – Onde passou a noite? – Puta merda duas vezes!
    - Rose... Eu... Como... Puta que pariu! – Sentia todo o meu corpo tremendo.
    - Sua mãe ligou avisando que chegará amanhã pela manhã para passar alguns dias com você, aí inventei uma desculpa para não ter que contar a ela que você tinha ido dormir na casa do Jacob. Você sabe como seu pai é com essa história de virgindade, garotos, sexo... – Ela estava bastante nervosa e eu prontinha para desabar. – Liguei para Jack e ele inventou uma desculpa esfarrapada. Claro que não acreditei, mas fiquei com uma pulga atrás da orelha. Você não confiou em mim? Não consigo acreditar. Sou sua amiga. Eu...
    - Rose, não foi bem assim. É que... Caramba, Rose! Não sei nem por onde começar.
    - Eu fui lá. Chamei Emmett e fomos juntos procurá-la e Jack teve que confessar que você não estava lá.
    - Emmett? Quem é Emmett? – Deu certo. Ele sorriu um pouco, mesmo com muita raiva, seus pensamentos desviaram de mim por um segundo.
    - Meu namorado. Eu te falei dele. Nós nos conhecemos naquele dia que você tomou um porre e o Professor Cullen... – Ah, não!  – Não tente me distrair, Bella. Quero saber direitinho o que você está escondendo.
    - Rose – respirei fundo. Não tinha mais como escapar. – Acho melhor nos sentarmos.

POV EDWARD
    Vi quando Isabella saiu da faculdade em seu monstro que ela insistia em chamar de carro. A informação de que ela era rica e que poderia ostentar muito mais não saía da minha cabeça. Por que ela levava uma vida tão simples se podia ter o melhor?
    Ela não me viu parado no estacionamento observando tudo o que fazia. Com certeza se tivesse me notado teria corado, como fez quando nos encontramos no corredor. Eu adorava isso nela.
    O texto que havia me enviado estava muito bom. Muito bom mesmo. Precisava entregar o material que eu tinha em mãos para Alice. Entrei no carro e meu celular tocou. Alice. Que coincidência.
    - Fala logo que vou começar a dirigir.
    - Nossa Edward! Como você é gentil, educado, carinhoso... – Revirei os olhos e cocei a testa.
    - Fala logo, Alice.
    - Reunião hoje à noite.
    - Você só pode estar brincando.
    - Edward, você não tem nada para fazer à noite, ou tem? – Imediatamente meus pensamentos correram para Bella, sua pele tão clara e limpa, seu cheiro impecável, seu risinho encantador, seus suspiros, gemidos, quando corava... Puta que pariu! Estou no estacionamento da faculdade, falando ao telefone com a minha irmã e com uma enorme ereção latejante. Porra!
    - Por que uma reunião?
    - Irina. Ela está vindo para a cidade. Precisamos encontrá-la, um jantar onde poderemos conversar melhor sobre o novo contrato.
    - Oh, merda!
    - Edward, Irina é a nossa melhor autora. Seus livros são um sucesso. Precisamos mantê-la fiel à editora – suspirei forte. Era minha obrigação como editor chefe, fazer de tudo para manter Irina satisfeita.
    - Ok, Alice! Mande uma mensagem para o meu celular com toda a programação. Preciso desligar agora.
    - Até mais tarde, baby!
    Ri e desliguei o telefone. Jasper deve estar passando o diabo com esta obsessão da esposa por 50 tons de cinza. Minha irmã estava se revelando uma ninfomaníaca de primeira. Coitado do meu amigo! Ainda bem que ele sabia como cuidar disso, então me restava apenas cuidar do meu problema: Isabella Swan e o tesão incontrolável que ela estava despertando em mim.
    - É, Isabella Swan, acho que teremos aula extra hoje – liguei o carro e saí em busca do meu objetivo.

POV BELLA
    - Você o que? – Ela gritou me assustando.
    - Rose...
    - Isabella Marie Swan, no que você se meteu porra!
    - Rose...
    - Como aquele cretino, filho de uma puta, tarado conseguiu te envolver nisso, hein?
    - Puta merda, Rose!
    - Nem tente Bella. Não tente me convencer do contrário, ok? Aquele... Aquele... Depravado, tarado, filho de uma...
    - ROSE – gritei. – Pelo amor de Deus!
    - Bella?
    - Dá para parar um minuto? Não é o que você está pensando, certo? Eu praticamente forcei Edward a participar desta loucura.
    - Ah, pelo amor de Deus digo eu! Ele se aproveitou da sua inocência. Usou esse joguinho de que você precisa trabalhar melhor os sentimentos para que você participasse dessa loucura. Francamente!
    - Pelo menos você não está chateada por eu estar com ele porque você queria ter uma chance – suspirei aliviada.
    - Rá! Até parece que eu trocaria meu príncipe encantado por aquele depravado.
    Tive que rir. Meu telefone tocou e corri para atendê-lo. Tinha certeza que Rose não criaria mais problemas e logo tudo acabaria. Era Edward. Sorri encantada.
    - Ah, eu não vou ficar aqui vendo você adorar ser ludibriada por este tarado aliciador de garotas inocentes. – Sorri para a minha amiga que saiu do quarto sem olhar para trás.
    - Oi!
    - Oi! – Sua voz suave fez minha pele formigar. – Tudo bem com você?
    - Hum... Sim. – Achei melhor não contar sobre a minha conversa com Rose. Edward podia não gostar disso e dar para trás em nosso acordo.
    - Está livre agora? – Uau! Eram apenas quatro da tarde.
    - O que tem em mente?
    - Não vou poder te ver esta noite e seu tempo é bem curto, então pensei que poderíamos ter uma aula extra agora à tarde.
    - Ah tá! Muito perspicaz, professor Cullen. A aula extra será uma ótima ajuda, já que o senhor tem planos para hoje a noite.
    - Por que a ironia, Isabella?
    - Nada.
    - É apenas um jantar de negócios. Com a minha irmã e muito provavelmente meu irmão, além de nossa maior escritora.
    - Ok.
    - Já estou passando para te pegar. Você tem cinco minutos – Oi? Ele vinha me pagar? Nossa!
    - Em cinco minutos professor.
    - Não se atrase aluna.
    - Quanta ansiedade.
    - Você nem pode imaginar.
    As borboletas já davam saltos panorâmicos em meu ventre. “Eu nem podia imaginar”. Edward era uma loucura. Entrei correndo no banheiro, tomei um banho bem rápido, sem lavar os cabelos, coloquei um vestido leve, uma sandália baixa, um perfume discreto e desci apressada. Edward já me esperava.
    Ele parecia tranquilo e estava incrivelmente lindo. O sorriso que me deu quando entrei no carro foi avassalador e imediatamente senti meu sexo ficando úmido. Puta que pariu! Esse homem mexia demais comigo. Meus hormônios estavam numa desordem inacreditável. Tenho certeza que corei e ele sorriu mais largamente afagando meu rosto com carinho.
    - Cheiro bom! – Deu partida no carro e fomos embora em direção a casa dele.
    - Chama-se banho, prof. Cullen – ele riu. Estava de ótimo humor. Graças a Deus! Meu celular tocou. Era Jacob.
    - Oi!
    - Oi, gostosinha. Como foi a sua noite?
    - Não me chame assim – o repreendi, mas achava graça quando ele brincava desse jeito comigo. – Foi ótima, e a sua?
    - Ótima, com certeza. Então você não é mais virgem?
    - Jacob! – Revirei os olhos e percebi que Edward ouvia atentamente o que dizíamos. – Meus pais chegam amanhã – desviei a conversa. Jacob riu.
    - Vou dizer para ele que te comi a semana toda – voltou a rir.
    - Você vai levar um tiro e meu pai vai ter um ataque cardíaco. Não sei se aguento perder meu melhor amigo e meu pai ao mesmo tempo – ressaltei o melhor amigo. Pela cara de Edward, ele não estava gostando muito da minha intimidade com Jacob. – Falo com você a noite, ok?
    - Vai trepar agora? Safadinha você, hein, Isabella Swan? – Fiquei mais do que vermelha.
    - Você é um idiota, Jacob Black – dei risada e ele também. – E a resposta para a sua pergunta é, não. E antes que me pergunte qual das duas perguntas, eu respondo: as duas. Bom para você? Agora tenho que desligar. Tchau!
    - Jacob Black? – Perguntou tão logo desliguei. Não gostei muito do tom de voz dele. – Ah, é! Vocês são amigos.
    - Muito amigos – ressaltei.
    - Muito amigos – repetiu com insatisfação.
    - É. Por que? – Ele suspirou pesadamente depois balançou a cabeça.
    - Nada – disse docemente. Putz! Edward era uma caixinha de surpresas.
    - Então você tem um jantar de negócios? – Usei minha estratégia infalível de mudar de assunto e amenizar o clima.
    - E você vai passar a noite com o seu “amigo”? – Oh droga! Por que Edward não podia ser fácil como as outras pessoas? – Aliás, “muito amigo”.
    - Preferia passar a noite com o meu professor depravado que se recusa a transar comigo, mas mesmo assim faz o diabo com o meu corpo... – Dei de ombros enquanto ele me olhava chocado com as minhas palavras. – Você tem compromisso, Edward. Só me sobra comer besteiras com os amigos e assistir a filmes antigos e repetitivos – sorri inocentemente para ele.
    - Você é inacreditável! – Balançou a cabeça sorrindo. – E não estou me recusando a transar com você, Isabella. Eu vou te comer, muitas e muitas vezes, não agora e definitivamente, não enquanto você for minha aluna. – Seu tom de voz autoritário e decidido me surpreendeu e meu corpo inteiro respondeu a suas palavras.
    Puta merda! Ele disse que ia “me comer”. Não “fazer amor”, “transar”, ou até mesmo “tirar a sua virgindade”. Ele disse “vou te comer” e essas três simples palavrinhas vibraram com tanta intensidade no centro entre minhas pernas que quase tive um orgasmo.
    – Estou considerando a ideia de comprar um vibrador e perder a virgindade com ele. Aí fica mais fácil e você não terá mais desculpas – cruzei os braços e tentei controlar meus hormônios. – Vai demorar para eu deixar de ser a sua aluna, Edward.
    - Não. Falta menos de um mês – sorriu escandalosamente. Fiquei boquiaberta e quase não consegui manter a minha respiração regular.
    - Vai... – engoli em seco. – Hum!... Me comer na minha noite de formatura? – Seu sorriso foi revelador.
    - Exatamente.
    Puta merda! Meu corpo começou a queimar de dentro para fora. Puta que pariu! Que homem!
    - Que foi? – Riu. – Adoro isso em você, Isabella. Passa um bom tempo forçando a barra para transarmos e quando digo que vou fazer isso você cora e fica parecendo uma criança assustada.
    - Não estou assustada – desviei o olhar.
    - Ótimo! Depois de me jogar no inferno, acho bom estar mesmo com coragem e disposição, Srta. Swan porque eu não abro mão – Oh Deus! Podia ser mais perfeito? – Chegamos.
    Olhei pela janela e vi que estávamos parados em frente a casa dele. Merda! Eu já estava extremamente excitada.
    Desci do carro e segui meu professor que caminhava despreocupadamente. Entramos e imediatamente fui agarrada e imprensada na parede. A porta bateu com um baque surdo no mesmo instante em que Edward passava uma das mãos por baixo do meu vestido, apertando e explorando todo o caminho até chegar a minha bunda. Gemi em seus lábios.
    Sua língua buscou a minha. Correspondi, completamente extasiada. A surpresa não me deixava agir e quem era eu para fazer qualquer coisa? Edward se esfregava em mim, deixando que eu sentisse sua ereção já tão proeminente. Quando ele passou seus dedos para dentro da minha calcinha, escorrendo-os pela minha bunda até encontrar meu sexo molhado, eu gemi descaradamente.
    - Oh, Edward! – Então ele se apossou de meu pescoço acariciando-o e também entre minhas coxas que já estava muito sensível.
    Em uma atitude ousada rebolei lentamente em seus dedos. Caralho! Era bom demais. Edward me acompanhou rebolando no mesmo ritmo deixando, em alguns momentos, que seus dedos afundassem um pouco mais. Ai, droga! Eu o queria ali. Queria desesperadamente.
    - Você confia em mim? – Que pergunta! Eu estava quase gozando e ele me perguntava se confiava nele.
    - Claro que confio Edward – continuei rebolando e sentindo seus dedos me acariciando. Aquilo era o céu e o inferno ao mesmo tempo.
    - Quero fazer uma coisa com você, Isabella. Mas preciso que confie em mim – ele parou de repente me deixando arfante e frustrada. Merda!
    - Todos os dias eu imploro para que você tire a minha virgindade. Tem forma maior de demonstrar confiança em alguém? – Revirei os olhos e arqueei uma sobrancelha desafiando-o. Ele me olhou analisando a minha resposta e depois sorriu.
    - Tem razão, Srta. língua afiada. Vamos ver o que esta boquinha deliciosa é capaz de fazer além de dar respostas rápidas.
    Puta merda!
    Edward me pegou pela mão e subimos em direção ao quarto. A cama ainda estava desarrumada do mesmo jeito que tínhamos deixado quando saímos pela manhã. Edward me levou até ela e depois ficou de frente para mim. Sondou meu rosto. Tentei não parecer assustada, mas não deu para esconder a ansiedade.
    - Quero prendê-la à cama – Oh Deus! – Vou usar uma algema. Fique tranquila. É de pelúcia. Não vai machucá-la. (http://apimentandoonline.iluria.com/pd-4fd90-algema-de-tecido-com-pelucia-preta.html?ct=32a09&p=1&s=1)
    - Por que quer me prender? – Ok! Eu estava assustada e ao mesmo tempo a ideia me deixava bastante ansiosa.
    - Porque quero você quietinha. Não vou prender suas pernas, só suas mãos  que me distraem muito. Você tem um toque maravilhoso, Isabella. Vai me deixar ansioso e posso estragar tudo antes da hora. Confie em mim. – Certo. Eu podia fazer isso. Fiz que sim com a cabeça. – Quero vendá-la também, tudo bem para você?
    - Edward...
    - Não quero que você fique olhando. Não se preocupe, vou dizer tudo o que pretendo fazer para que você permita ou não. Mas quero que apenas sinta e não raciocine muito – fiquei insegura, mas... Puta merda! Era uma ideia deliciosa.
    - Ok! – Ele sorriu lindamente e me deu um beijo rápido nos lábios.
    - Ótimo! Agora tire o vestido – O que? Fiquei envergonhada de imediato. – Já te vi nua, Isabella. Já toquei em todo o seu corpo – aquele sorriso diabólico estava presente. – E agora quero beijá-lo por inteiro. – Oh merda! Oh merda! Como ele me dizia isso assim, sem nenhum aviso prévio? Eu estava entrando em combustão. – Controle sua ansiedade, Srta. Swan. Tire o vestido e deite na cama.
    Obedeci. Edward subiu na cama me mantendo entre as suas pernas, deu uma olhada deliciosa em meu corpo e gentilmente segurou meus pulsos levantando-os e prendendo minhas mãos com as algemas na cabeceira da cama.
    - Ficou ótimo! – Avaliou e depois me encarou com olhos famintos. Puxei o ar com força. – Vou vendá-la, tudo bem para você? – Fiz que sim. Minha boca estava seca e minha garganta fechada. E em seguida. Eu não podia ver mais nada.

POV EDWARD
    Vendei Isabella e fiquei um tempo pensando se deveria ou não fazer o que pretendia. Mas se eu já tinha aceitado que transaríamos, já tinha uma data definida e sabia que depois disso poderíamos tentar, quem sabe, um relacionamento, por que não fazer?
    Quando tomamos banho juntos, Bella tinha me pedido uma coisa. Um simples pedido que me levou à loucura. Ela queria que eu gozasse em sua boca. Puta que pariu! A menina era uma delícia e tinha uma capacidade absurda de me tirar da linha de controle. Eu a queira como jamais quis qualquer outra mulher.
    Por outro lado Isabella bem merecia umas palmadas pela conversa indecorosa que teve com o “amigo” ao telefone. Tenho certeza que ela sabia que o volume estava no máximo e com isso eu podia ouvir a conversa deles e mesmo assim permitiu que ele dissesse cada palavra. Este era um problema a ser resolvido.
    Levantei da cama e fui em direção ao closet. Abri a gaveta dos “brinquedos” e escolhi um óleo comestível sabor chiclete (http://apimentandoonline.iluria.com/pd-518e0-oleo-termico-comestivel-15ml-chiclete.html?ct=32a2b&p=1&s=1) e voltei ao quarto. Ela se movimentava um pouco insegura, contorcendo as pernas em movimentos leves que para mim eram muito excitantes. Parei para curtir um pouco a imagem. Linda e só de calcinha. Ah Isabella Swan, todas as coisas que eu queria fazer com você.
    - Bella? Tudo bem até agora?
    - Sim. Onde você está?
    - Bem pertinho de você. Estou te olhando e adorando o que estou vendo – instintivamente ela fechou as pernas e seu rosto corou. Sorri deliciado.
    Tirei toda a roupa, ficando apenas de cueca e subi na cama. Mantive seu corpo entre as minhas pernas.
    - Vou fazer uma massagem em seu corpo e vou usar um óleo. Você vai gostar – ela respirou fundo e assentiu.
    Joguei um pouco do líquido na mão e esfreguei uma na outra. Eu sabia que esquentaria quando tocasse a sua pele. Era uma sensação gostosa. Passei as mãos em seus ombros, apertando-os um pouco para que relaxasse. Subi as mãos pelos seus braços e desci rapidamente, indo em direção aos seus seios. Despejei mais um pouco do óleo e voltei a aquecê-los.
    Quando deixei que minhas mãos tocassem os seios de Bella, ela arqueou o corpo e gemeu manhosamente. Ah! Eu adorava sua reação. Gentilmente massageei o local e estendi a carícia à sua barriga, indo e voltando com a pressão correta. Brinquei um pouco com o bico dos seios prendendo-os em meus dedos e puxando-os.
    Sem aviso, desci lentamente o corpo e assoprei um dos seios que eu estava acariciando. A região já sensível ficou ainda mais com o contato do meu hálito que esquentava o óleo. Bella gemeu mais abertamente me instigando a continuar. Fiz o mesmo no outro seio e ela adorou a sensação.
    - Quero te beijar, aqui – passei as mãos em seus seios, esfregando os bicos por entre os dedos. Ela arqueou outra vez gemendo.
    - Por favor!
    Sem esperar por mais um pedido, deixei que meus lábios fossem até um dos seios, enquanto a mão estimulava o outro. Beijei o seio sentindo o sabor doce do óleo que se misturava ao sabor delicioso de Isabella. Suguei e mordi o bico.
    - Oh Deus! Edward... – Isso Bella! Eu me sentia poderoso quando ela gemia meu nome ou se desmanchava em prazer quando meus lábios a tocavam.
    Após fazer o mesmo no outro seio e deixar Bella arfante, desci os lábios, assoprando, mordendo e lambendo sua barriga até encontrar o umbigo. Ali despejei mais um pouco do óleo e voltei a beijá-la com mais gosto. Era delicioso!
     Estava determinado a ir até o final, então desci mais um pouco, passando a língua pela barra da sua calcinha. Bella parou um pouco alarmada, porém não disse nada.
    - Vou tirar a sua calcinha – avisei e aguardei pela sua permissão. Isabella hesitou, então concordou.

POV BELLA
    Oh merda! Eu queria muito isso. Desejei este contato desde quando me dei conta do quanto precisava dele em mim. No entanto agora eu estava confusa, com medo e alarmada, sem falar da enorme vergonha que estava sentindo. Ainda bem que não podia vê-lo. Edward era ótimo em me ler. Ele sabia que eu não conseguiria se tivesse que olhar em seus olhos, por isso tinha me vendado.
    Mesmo assim. Eu ainda ansiava por senti-lo. Eu queria seus lábios... Ali. Queria sua língua me provando. Oh Deus! Eu queria tanto. Então concordei.
    Aos poucos fui sentindo a minha calcinha sendo retirada do meu corpo. Não poder enxergar aumentava todos os outros sentidos. O roçar dos dedos dele em minhas coxas me deixou completamente arrepiada, além de quente. Eu estava incrivelmente molhada, então será que seria adequado? Oh merda! Isso me deixava terrivelmente envergonhada.
    Edward tinha me dito, na nossa primeira aula, que esta reação era boa e correta, mas será que era para sexo oral também? Ai meu Deus! Eu deveria alertá-lo? Não. Nunca teria coragem de fazer isso. Edward era experiente e deveria saber no que estava se metendo... Quer dizer... Não propriamente se metendo, já que não teríamos penetração... Oh droga! Por que estou pensando neste tanto de bobagens enquanto sei que estou nua, algemada e vendada, completamente molhada, aguardando pelos seus lábios em meu sexo? Droga!
    Seus dedos hábeis me tocaram. Estremeci com o contato, mas o toque foi leve, um tanto quanto carinhoso e íntimo, muito íntimo. Seus dedos, três, me acariciavam. Ouvi seu gemido. Era delicioso saber que ele gostava de me tocar.
    - Ah, Bella! Você fica sempre deliciosamente molhada. Gosto muito disso em você – continuou com a carícia e eu me sentia escorregando na beira de um precipício. – Vou usar o óleo aqui também. Não se assuste. Esquenta mais, como o que usamos no banheiro.
    Não consegui responder. Todas as palavras tinham fugido e aguardavam ansiosamente pelo que aconteceria.
    Quando estamos ansiosos um segundo parece uma eternidade. Edward demorou muito para fazer mas quando senti sua mão se fechar em meu sexo, deixando que o líquido aquecido se misturasse a minha excitação, soltei o gemido mais absurdo de todos os que eu já tinha emitido antes.
    Seus dedos se demoraram um pouco mais ali, acariciando e excitando. Deixando que o líquido se espalhasse e aquecesse antecipando o que viria em seguida. Ele parou e eu prendi a respiração.
    Seus lábios tocaram minhas coxas me fazendo tremer com o contato. Ele estava muito próximo, quase lá e eu me segurava para não me contorcer de tanta ansiedade. Ele brincou comigo. Sabia que eu estava no último estágio, que em breve explodiria, mesmo assim, sua língua passou pela minha pele, em minha coxa e seus dentes arranharam o local. Puta merda!
    E então... Seus lábios se fecharam. Ah Deus! Ele assoprou levemente a região e todo o meu corpo ficou quente. Gemi quase chorando e no mesmo momento ele me beijou... Lá. Céus! Ele fechou os lábios e os movimentou como se estivesse beijando a minha boca, mas ele beijava bem lá, no meio das minhas pernas, eu estava arfando e me contorcendo feito louca de tanto prazer.
    Sua língua passou por toda a região, em seguida dedicou sua atenção ao pequeno ponto de prazer, meu clitóris. Ele passava a língua em movimentos circulares e depois fechou os dentes fazendo uma leve pressão. Pensei que gozaria naquele momento, mas Edward me abandonou. Tentei controlar a respiração. Ele então voltou com mais intensidade e chupou o ponto e eu praticamente gritei. Por duas vezes ele repetiu o movimento, passou a língua, mordeu e chupou, quando partiu para a terceira, meu corpo inteiro se desfez.
    Gritei sentindo que todas as minhas células se expandiam e se espalhavam pelo universo. Tenho consciência de que o prazer percorreu meu corpo em segundos, aquecendo a pele e queimando da maneira mais gostosa possível e que durante todo o tempo eu gritei por ele, me derretendo em seus lábios poderosos.
    Aos poucos fui voltando ao planeta terra e me situando nos Estados Unidos, localizando-me na Califórnia e centrando-me na casa de Edward, em seu quarto, sua cama. Putz! Eu tinha gozado na boca do meu professor. Putz duas vezes! Eu tinha adorado fazer isso.
    Edward subiu meu corpo com beijos carinhosos, chegando ao meu pescoço e depois em meus lábios. O leve sabor doce, provavelmente do óleo se misturava ao sabor salgado, provavelmente do meu gozo. Ele tirou minha venda e eu encontrei seus olhos, ainda brilhando de excitação. Pisquei algumas vezes para me adaptar à luz que banhava o quarto. Ele sorria. Era perturbador e sexy ao mesmo tempo. Soltou minhas mãos e acariciou meus pulsos. Tudo isso sem sair de cima de mim e sem deixar de salpicar beijos leves em meu rosto, lábios, seios e pescoço.
    - Agora, aluna aplicada, é a sua vez.
    Puta que pariu! Meu sangue recomeçou a borbulhar.



 E então? Quem gostou levante a mão \o/ rsrsrsrsrsrsrsrsrsr Aguardo pelos comentário e já estou trabalhando neste novo capítulo. Bjs

24 comentários:

Tati Cabral disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tati Cabral disse...

Nem Cross nem Grey, o professor Delícia é o melhor! !! Tô até pensando em voltar a estudar!!!
PUTA QUE PARIU Tati, justo aí vc decidiu terminar o capitulo!!!! Isso ñ se faz!

Renata Pereira disse...

Uau q aula!!!Vc é mt má Tati...quero mais aulas rsrsrsrsrs bjs ♥

Adriana Prado disse...

Rsrsrsrsrs que aula boa hein! Muitos aprendizados!! Tbém quero uma aulinha particular!

Nina witch disse...

PQP!!! Que aula, que sufoco!!
Esse professor vai matar essa aluna (e nós leitoras) antes mesmo da formatura.
Como pode existir um ser tão delícia desses?? Tô em transe aqui. Ainda bem que não tem ninguém me vendo, pois minhas bochechas estão estão queimando.
Eita professor delícia, vai ser gostoso assim lá em casa.
Bjs
Monica/Nina Robsten

Josi disse...

Theacher se rendendo?apesar que adoro umas cenas picantes...mais a que mais chamou atenção foi o pov dele,ja pensando na possibilidade de um relacionamento com a bella
ansiosa pelos prox capitulos

beijos Jo Robsten

Renata Lamela Lenke disse...

Oh my gosh !!!!!!!!!!!!!
Aula quenteeeeeeeeeeeeeeeee !!!!! hahahaha
E a autora parou na melhor parte, o que faremos com ela ?! hahahah
Muito bom, como sempre Tati.
Bjsssssssssssssssssssssssss

Cookie Robsten disse...

OMG! Eu ameeeeeeei *-*
Que professor perfeito é esse?!
Agora é sua vez, aluna aplicada. Aposto que ela vai ser e muito kkkkkkkk
Aguardando o próximo!


bjoos

mirsihpascoal disse...

Poha, Tati ! Eu juro que ainda vou parar no hospital por causa desse professor delícia. Meu Jesus, que capítulo foi esse. E ele sentindo ciúmes do Jake, e já pensando em manter um relacionamento com a Bella depois da formatura, super fofo. Poooooooor favor, não demora no próximo cap., pq vc parou em uma das melhores partes. Kkkkkkk

Leila disse...

Adoreiiiii

Katia Souza disse...

Esse Professor tá.....onde encontra um desse???
Tem na loja também??? Acho q vc esqueceu de colocar o link dele rsrsrsrrs

Não acredito q vai demorar Um Mês para "finalmente"

OMG!!!!! E vc continua como sempre, terminando o capítulo na melhor parte!!! Malvada

Mas está perdoada, já q vc prometeu q vai postar outro amanhã.

BJSSSSSSSSSSS AMEI!!!

Marcela Biehl disse...

Tati vc é uma perva! Bella aguentar um mês e nós leitoras ficarmos na mão na melhor hora....
Estou HIPERVENTILANDO!

Carla Nunes Amaral disse...

= Nossa Senhora = Que aula extra !!!!!!! Adorei =]

Kelli Panhozzi disse...

Meu Deus que CALOOOORRR! ( olha que aqui esta um frio da P**** )
Capítulo mais do que PERFEITO... Agora eu a Bella e todas as leitoras estamos contando os minutos para o dia da formatura kkkkkkkkk, nunca fiquei tão ansiosa por uma primeira vez na vida! :P

E Dona Tatiana você me compromete colocando essas fotos. Estava eu lendo de boa a fic quando chego ao final aparece aquele Deus com a Deusa em uma imagem nada decente. Meu esposo olha e diz: QUE PORRA É ESSA?
Pensei, FERROU! Só que não, pelo menos ele foi justo no castigo.
Por sua culpa terei que imitar a foto KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK ( não é nenhum sacrifício não é mesmo? )
Beijos flor, aguardando o próximo capítulo :D

Ana Paula Tunin disse...

Como vc para numa hora dessas mulher vai me deixar morta de curiosidade.

Claudia Sula disse...

Tati, parabens, sua fic está d++++++++++++++,não vejo a hora de chegar o dia desta bendita formatura, se as preliminares estão hots assim, imagina quando forem até o fim kkkkkkkkk, por favor não demora pra postar o próximo capitulo.Ansiosa também por função ceo.bjs e até breve

Guerreira Solitária 12 disse...

O Grey deve ter aprendido com nosso professor mas como dizem por ai o aluno ainda nao superou o mestre
Ta demais o capitulo
Bjos tati

Fernanda mendonça disse...

Ahhhhhhhhhhhhhhhh, o que foi que vc fez?! Assim não dá...vc parou na melhor parte, loura de Brotas!!!! nãm nãm nãm... eu só estou pesacando os detalhes das aulas e fazendo minhas anotações para quando o marido chegar de viagem botar em prática..kkkkkkkkkkkkkkkkkkk....Tati, estou amando sua fic....está demais! Tem previsão de postagem do próximo capítulo?bjosssssss

Manuela Leal disse...

Tati!!!!! Que é isssssssssso? Sensacionaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaal!

Por que você maltrata as leitoras desse jeito, ein? Não faz isso, não para por aí! Já não estou acreditando que precisarei esperar até a maldita formatura... Acho que nem a Bella tá aguentando mais! Rsrsrs

Tá de PARABÉNS! Também sou soteropolitana e você, minha baiana, dá um show à parte em mistérios de professores. Hahha!

Beijoca,

Espero o próximo!

Andrea Silva disse...

Leitora nova no pedaço!!

Tatiana, o que é esse professorrrr???? :o Minha nossa senhora!!! E você judia do meu pobre coração com essas cenas... hehehe
Estou amando, devorei todos os capítulos ontem.
O ruim agora é aguardar... :(
Mas estarei aqui firme e forte!!
Bjs

Alê Patricio disse...

Minha Santa Piririta da Perna Frouxa, que PROFESSOR é esse???? Ai q eu queria está agora no lugar de Bella.

karinainvaldi disse...

Tati do céu..vc quer matar a gente? Essa fic ta demais de boa...rsrs

Fernanda Bella F disse...

Amada OMG!! Que capítulo mega fantástico!! Estou amando O Professor!! A cada capítulo mais apaixonada!! UUHUhu Queria muito umas aulas dessas...kkkkk grande beijo flor!!

Amanda Martins disse...

Ameei, Parabéns ta fantástico esse capítulo.

Postar um comentário