Spolier Função CEO Livro 1

3

    - Melissa! Você já sentiu vontade de tocar em algo que sabe ser proibido? Já teve o desejo irresistível de experimentar algo que sabe não ser socialmente ou eticamente correto? Algo tão proibido, no entanto tão desejável que poderia te destruir?
    Era exatamente assim que eu a via naquele momento. Não era apenas uma mulher ou uma peça do jogo. Era talvez a carta que poderia me derrubar ou me ajudar a derrubar Tanya.
    - Sim.
    Como imaginei. Melissa era minha. Se um dia Tanya pensou em utilizá-la nesta guerra, escolheu a pessoa errada.
    - Então... Melissa.  É melhor você ir embora, ou então eu seria tentado a aceitar a sua ajuda, mas do meu jeito.
    Lógico que aquele não era o momento para isso e eu precisava realmente que ela fosse embora que pudesse colocar em prática o meu plano. Aquele acontecimento serviu como combustível para as minhas ações. Era necessário começar a arrumar o terreno para mais este golpe. Deixei que ela passasse por mim. Coitada! Tão assustada e desnorteada. Quase ri.
    Assim que o elevador desceu, corri para meu computador, impaciente e ansioso por mais informações, além de desejar saber como ela se comportaria após tudo o que passamos nos últimos minutos.
    Para minha surpresa ela estava ao telefone. Será que com Tanya? Sua agitação era nítida. Ela estava incomodada com algo. Com certeza estava passando os últimos acontecimentos. Mas isso também poderia ser útil. Se Tanya acreditasse que meu único interesse em Melissa era como amante seria ainda mais fácil. Sorri satisfeito.
    Quando ela desligou a ligação estava ainda mais frustrada e confusa. Parecia estar também um pouco irritada. Perdi sua imagem tão logo a porta do elevador abriu deixando-a escapar de meus olhos. O que não me agradou em nada.
    Peguei o telefone, meu celular, pois não usava o telefone da empresa para coisas pessoais, principalmente coisas como a que faria agora, e aguardei.
    - Deixe-me adivinhar, Você precisa que eu investigue alguém – Tom atendeu com a voz cansada.
    Tom Cornell é um investigador, mais precisamente, é o meu investigador pessoal. Seus últimos dois anos foram dedicados exclusivamente as minhas necessidades. Graças a ele e a sua equipe eu estava conseguido estar sempre há um passo na frente de Tanya.
    - Isso é um problema para você? – ele bocejou.
    - Não. Seu dinheiro sempre é bem vindo – Riu sarcasticamente. – de quem estamos falando?
    - Melissa Simon.
    - Melissa Simon. OK. Quem é ela? – ele ficou mais atento, assumindo o tom profissional.
    - Isso é você quem vai me dizer.
    - E de onde você tirou este nome?
    - É a minha nova secretária.

3 comentários:

Adriana Prado disse...

Amo esses momentos! Saudades desse ceo!

Marcela Biehl disse...

Muito denso e interessante o ponto de vista do CEO!

Fernanda Bizerra disse...

Nossa super interessante..

Beijos!

Postar um comentário